Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 25 de Junho de 2018 | 09:40
27˚
(67) 3042-4141
Política
Sexta-Feira, 25 de Maio de 2018, 16h:54
Tamanho do texto A - A+

Fábio Trad é o único deputado federal do Estado a votar contra a reoneração da folha

PL 8456/17, que reonera 56 setores da economia, foi aprovado nesta quarta-feira na Câmara e segue agora para o Senado

Flávio Brito
Capital News

 

Cláudio Basílio/Assessoria

Fábio Trad é o único deputado federal do Estado a votar contra projeto de reoneração da folha

Deputado federal Fábio Trad expllica os motivos de votar "não"

Foi aprovado em regime de emergência, na Câmara dos Deputados, o projeto de lei do Executivo PL 8456/17, que acaba com a desoneração da folha de pagamento dos 56 setores atualmente beneficiados. Segundo o deputado federal Fábio Trad (PSD), a aprovação foi imposta pelo governo para em isentar o óleo diesel das alíquotas do PIS e da Cofins até o final do ano, bem como zerar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide).

 

Na prática, segundo o deputado, a medida aumenta imediatamente os impostos sobre 28 setores da economia, ficando os demais a serem reonerados até 2020. Aprovado pela maioria dos deputados, o texto-base segue agora para o Senado.

 

“O Governo encontrou o pretexto que tanto queria para aumentar impostos novamente. É preciso haver coerência do que se prega e do que se faz. Eu venho ao longo da minha atividade parlamentar pregando a necessidade de se fazer uma ampla reforma tributária, uma vez que os tributos são escorchantes”, afirma o deputado, em nota divulgada por sua assessoria de imprensa. 

 

“Por isso, não posso votar favoravelmente à reoneração, pois entendo que os setores reonerados vão, na verdade, transferir ao consumidor final o valor dos tributos, aumentando o custo-Brasil. Voto ‘não’ para esse projeto”, disse Fábio Trad, o único do Mato Grosso do Sul dar voto contrário ao projeto, segundo a sua assessoria.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix